A Paróquia

RETALHOS DE UMA HISTÓRIA



No princípio era a Arquidiocese de Mariana e os primeiros bispos a entrar nesta caminhada foram: Dom Silvério Gomes Pimenta (1897-1922), Dom Helvécio Gomes de Oliveira (1922-1960), Dom Oscar, de Oliveira (1960-1988). No bispado de Dom Oscar de Oliveira (1960-2988), é criada a Diocese de Itabira, mais precisamente em 14.06.1965, logo após o Concílio Ecumênico Vaticano II. Seu primeiro bispo: Dom Marcos Antônio Noronha. Dom Marcos renúncia, e com a renúncia dele, assume então o Pe. Antônio Sebastião Ferreira Barros, com Administrador Capitular. Segue então a sequência de novos bispos: Dom Mario Teixeira Gurgel (1971), Época em que a diocese ganha sua co-catedral, em Coronel Fabriciano tendo como bispo auxiliar: Dom Lelis Lara (1979). Neste mesmo ano (1979), Dom Lelis Lara se torna bispo, Dom Odilon Guimarães Moreira (2003), e Dom Marco Aurélio Gubiotti (2013) Sobre Coronel Fabriciano: Em 20 de Janeiro de 1948 nascia nesta região a cidade de Coronel Fabriciano. Ao seu redor, mesmo antes de se tornar uma cidade, em 1944, a Empresa Estatal ACESITA (Aços Especiais de Itabira), já dava seus primeiros passos…



A data da fundação da cidade e da Paróquia São Sebastião é a mesma: 20/01/1948. Desde a instalação da empresa Acesita, os padres de Coronel Fabriciano que ainda não era cidade, nem paróquia já davam assistência religiosa ao nosso povo que a cada dia iam chegando mais e mais pessoas.


Segundo o Sr. Benedito Marques, antes do padre Rafael chegar aqui, os padres que davam assistência ao povo eram os Padres de Coronel Fabriciano: Padre Deolindo Coelho, Padre Luiz Carlos, Padre José Belmiro, Padre Geraldo Magela, Padre Eugênio Carlos que fundou a Congregação Mariana e a Pia União. Por fim, Padre Valdir que gostava de jogar birosca. Ele ganhava todas as partidas e depois devolvia as biroscas. Ele era cheio de vida ele atraia a juventude.


 


UM POUCO DA HISTÓRIA DE TIMÓTEO

CONTADA POR: 
NÚBIA BATISTA SILVA NASCIMENTO – 25/02/1925

NATURALIDADE: CATAGUASES/MG 



  1. Núbia, residente no centro-sul, professora, catequista, muito interessada em história nos relata: “Em meados de 1908, o mascate Timóteo, que deu origem ao nome da cidade, Já passava por aqui, por estas terras e era muito popular. Em 1950, quando pensei em vir para cá, eu pesquisei e encontrei este nome no mapa: Arraial de Timóteo. Este era o nome.


Sempre teve rivalidade com a Acesita, Tanto na igreja, como no futebol. Mas com a igreja havia uma ligação. No mês de maio a gente fazia coroações aqui e o Pe. Abdala pedia pra gente fazer lá também. Eu vim da Ação Católica e eu lidava com todas as atividades sociológicas. O Pe. Abdala convidou-me para dar aula de Ensino Religioso lá, toda sexta feira. Eu dava aula na escola Angelina Alves de Carvalho. Naquele tempo era o Pe. Rafael que era o pároco. Ele faz muita campanha para construir esta Igreja São Sebastião. Quando ganhava dinheiro, ele soltava foguete.



Pe. Abdala, um amigo de verdade! Quando meu marido foi preso por ocasião de Revolução de 1964, ele me ajudou demais…


A Ir. Lila era ousada! Era fora de sério não tinha medo de nada! Era perseguida, era revolucionário em favor do pobre e da posse da terra. No dia 7 de setembro, o colégio Monsenhor Rafael desfilou todo mundo de faixa preta, a Bandeira do Brasil com uma fita preta.


O bispo Dom Helvécio de Oliveira, sentindo a necessidade de um padre para acolher o povo que chegava para trabalhar na Acesita, enviou o Pe. Rafael Arcanjo Coelho.


 


Dados biográficos de Pe. Rafael Arcanjo Coelho (Monsenhor):


Nasceu em Mariana em 24/10/1903. Fez seus estudos em Mariana no Grupo Escolar “Dr. Gomes Freire”. Continuou no Seminário Menor e os aperfeiçoou em Roma. Quando partiu para Roma já era sacerdote desde 10 de agosto 1927.


Exerceu o paroquiato em São Caetano de Mariana, São João Del Rei e Mariana. Segundo Vigário Geral, de 1942 a 1945. Exerceu o paroquiato em Alvinópolis (1946) e em Acesita (1950).


Fundou em 15/03/1946, a “Beneficência popular” em Alvinópolis. Ficou em Acesita de 1950 a 1958. Faleceu em 02/10/1966 (Rio de Janeiro) e sepultado em Mariana, cemitério igreja do Rosário. Lema: “Transformando os ensinamentos de Cristo em simples atividades ao alcance de todos. Não faltará para ninguém nem terra, nem pão, nem liberdade de praticar o bem”.

Monsenhor Rafael Arcanjo Coelho – 39 anos de Sacerdócio.


 


Dados biográficos de Pe. Abdala Jorge:


Nasceu em São João Del Rei em 19/07/1927. (Registrado no mesmo livro onde consta o nascimento de Tiradentes). Retalhos de seu retiro para ordenação:


-1)Postulat sancia mater eclesia – É a igreja quem pode. Não é a mamãe, não sou eu, não são meus amigos.


O que justifica este pedido da igreja? A necessidade de operário. A igreja espera que corresponda as suas exigências e necessidades. Sou capaz de fazer o que a igreja espera de mim?


-2)-Praedicare-Pregar a Cristo e a Cristo crucificado. Nada de rodeios e floreados vazio. Pregar para ser entendido e atendido. Nada de vaidade. Humildade. O Evangelho. A Escritura. As Enclícicas.


r-Misterium-celebrantes-Mortificate-A Santa Missa é a renovação da mortificação de Jesus.

É também o meu sacrifício. Não posso ser um estranho do lado de fora. Se não faço a minha oração oficial da igreja, o Breviário, não farei meu sacrifício da Santa Missa.


z-Nec nos-nec vos damnari-Que a Igreja não se arrependa com a minha ordenação.


Data de sua ordenação: 30/11/1952.

Chegada em Acesita: 1935 (primeira e última comunidade e depois, Paróquia).

Bodas de Ouro Sacerdotal: 30.11.2002 em São João Del Rei.

Faleceu em 30.07.2012(Timóteo). Quase 60 anos de sacerdócio.

Sepultado em Timóteo, cemitério Jardim da Saudade.


Lema: ”O Senhor ergue do pó o homem fraco e do lixo Ele retira o indigente, para fazê-lo assentar-se como os nobres num lugar de muita honra e distinção” 1Samuel 2,8.


 


Aqui o registro de parte de uma entrevista da Catequese Alvorada em 08/04/2008,

com o Pe. Abdala Jorge:


-Pe. Abdala, o que caracteriza a nossa paróquia?


Resposta: ”Esta paróquia traz no nome aquele que é o padroeiro dos operários. Os trabalhadores. Por isto que ela tem este nome. É interessante a gente observar que o nome da cidade se identifica com o nome da usina, O nome jurídico é Timóteo, o nome real, nome que nós chamávamos, os antigos, é Acesita. O nome Jurídico é Timóteo porque o governador Francelino Pereira não deixou que o nome Acesita fosse aprovado, apesar do plebiscito. Eu gosto de dar estas explicações porque eu acho que esta identificação da usina com a cidade é importante porque quem é dono do trabalho tem que ser dono da cidade. É por isto que a gente acostumou a chamar assim com este nome e a paróquia, não mudou de nome. É: Paróquia São José de Acesita. Esta identificação da pessoa com o trabalho, fez a gente entender bem a identificação da igreja, da pessoa que é batizada ou não batizada se sinta a mesma pessoa, sem salientar as marcas religiosas. As pessoas antigas, antes do concílio Ecumênico Vaticano II traziam as marcas desta igreja. O papa João XXII, abriu os nossos olhos.


Fez a gente entender quem é este Jesus que tirou todas as marcas e se apresentou como qualquer um. Por isso a Paróquia São José da Acesita, quer ser fermento que desaparece no meio da massa. Quer ser luz que ilumina, que entra sem quebrar paredes sem alterar o objeto iluminado. Se uma igreja, não voltada para ela, mas voltada para o povo. Não importa se é católico ou se não é. O que importa são valores ecumênicos.


 


Um pouco da “Beneficência popular”:


De onde vem? – Vem do sonho do Padre Rafael.

Quando e onde foi fundada? Em 17.05.1946 em Alvinópolis.

Seu lema; “Tudo para todos”(São Paulo)

1ª Madre: Madre Maria Marque  Ferreira (Madre Mariinha)


 


Como vivem:


-Do carisma de seu fundador,

-Em pequenos grupos,

-Em comunhão de bens,

-Em atitude de escuta aos apelos de Deus

-Na esperança ativa de um mundo mais remido.

“Se o grão de trigo não morrer, permanecerá só. Mas se morrer dará frutos”(jo 12,24)

-Não usam uniforme, nem distintivo algum.


 


Quais as primeiras Irmãs que chegaram aqui?


Madre Mariinha, Ir. Nadir, Ir Iracema, Ir Odila, Ir. Rita, Ir. Maria José. Algumas irmãs que trabalharam no Colégio Mons. Rafael: Ir. Icó Madre. Carmem, Ir. Alvimar, Ir. Aparecida, Ir. Lila, Ir. Marilia, Ir. Abgail. Algumas Irmãs que trabalham ou trabalham nesta paróquia:


Ir. Julieta, Ir. Tonica, Ir. Zizi, Ir. Francisca.


Obs; Das irmãs citadas sempre trabalharam nesta paróquia: Ir. Julieta fabricava hóstias


Ir. Lila – Era uma missionária, por um tempo coordenou a catequese e depois atuou na CEB`S


Ir. Aparecida – O braço direito do Pe. Abdala e da Paróquia, São José de Acesita.


Ir. Alvimar – Por muitos anos coordenou a catequese. Hoje reside na Casa das Irmãs em cachoeira do Vale.


Ir. Lila – Foi homenageada por Dona Rita (Vicentina) da Comunidade N.S. das Graças, Alvorada, Fundadora da creche Ir. Lila.


 


FacebookTwitterWhatsApp